Tamanho do texto

Governo argentino interveio na YPF ontem e prometeu aprovar uma lei para expropriar 51% da companhia

selo

O presidente da petroleira espanhola Repsol, Antonio Brufau, criticou a decisão da Argentina de expropriar a unidade local da companhia, a YPF, e descreveu a atitude como parte de um esforço para encobrir a rápida deterioração da economia do país e a política energética insustentável.

UE diz que expropriação da YPF é ilegal e suspende reunião com Argentina

Argentina decide nacionalizar YPF e estremece relação com Espanha

O governo de Cristina Kirchner interveio na YPF ontem e prometeu aprovar uma lei para expropriar 51% da companhia, que corresponde a mais da metade da produção diária de hidrocarbonetos da Repsol.

A empresa espanhola tem 57,4% de participação na YPF.

Repsol acusa Argentina de manipular YPF para expropriá-la a preço de saldo

Em uma entrevista à imprensa, Brufau afirmou que o governo argentino que reduzir o valor das ações da YPF antes da expropriação formal. "Nós vamos buscar compensação total pela YPF", alertou o executivo.

Segundo cálculos da Repsol, o valor da YPF é de US$ 18,3 bilhões, o que significa que a fatia pertencente à companhia espanhola vale US$ 10,5 bilhões.

A Repsol afirmou que o valor da YPF equivale a US$ 46,55 por ação. As informações são da Dow Jones.