Tamanho do texto

A empresa chinesa de máquinas para construção civil Sany Heavy Industry anuncia na tarde desta segunda-feira sua chegada ao Brasil. Com investimento de US$ 100 milhões e capacidade para dobrar esse valor, a companhia instalará a sua primeira fábrica brasileira no Estado de São Paulo.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561210268&_c_=MiGComponente_C

A informação foi antecipada à "Agência Estado" pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento, responsável pela atração do investimento, por meio da agência Investe São Paulo.

A Sany é uma das maiores fabricantes mundiais de guindastes, escavadeiras, caminhões para mistura e transporte de concreto e máquinas para colocação de estacas. A planta paulista produzirá maquinário para o mercado brasileiro e latino-americano e deve empregar de forma direta mil pessoas. A expectativa de faturamento da companhia, em cinco anos, é de US$ 500 milhões.

A cidade paulista que abrigará a fábrica e a data de início das obras devem ser reveladas durante o anúncio oficial da chegada da Sany, às 16 horas, em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. A Sany é a primeira grande empresa a desembarcar no Estado após a criação, em dezembro de 2008, do Investe São Paulo, a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade.

O grupo, criado pelo então vice-governador e então secretário de Desenvolvimento, Alberto Goldman, reúne representantes do poder público e do empresariado. O porta-voz do anúncio será o atual secretário da área, Geraldo Alckmin - possível candidato do PSDB ao governo do Estado nas eleições de outubro.

O grupo Sany foi criado em 1989 pelo engenheiro Liang Wenger, que até hoje preside a companhia. O conglomerado teve, em 2008, um volume de vendas de 20,9 bilhões de yuans, o equivalente a US$ 3,058 bilhões. A Sany tem 12 filiais pelo mundo e uma rede de vendas e distribuição que atende a 130 países. Até agora, a empresa tinha apenas uma subsidiária na capital paulista, para intermediar a venda de seus produtos na América Latina.

Leia mais sobre: China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.