Tamanho do texto

Simone Simon, especialista em negociação pela Harvard Law School e mestre em Gestão Internacional pela UPMF/ França, lança o livro "Faça ser fácil"

Divulgação
"Faça ser Fácil"

Já passou pelo conhecido e sombrio “beco sem saída”? Ou enfrentou a tal “sinuca de bico” que costuma causar calafrios por ter que decidir algo? Seja no ambiente corporativo, na relação com o cônjuge, filhos ou até mesmo em uma reunião com stakeholders, diariamente somos bombardeados de tópicos que requerem decisões rápidas e complexas. Em todo tipo de negociação existem aspectos a serem avaliados com amplitude, independente do grau de importância. Com o intuito de desmistificar o estigma que envolve o universo das negociações, Simone Simon, especialista em negociação pela Harvard Law School e mestre em Gestão Internacional pela UPMF/ França, lança o livro Faça ser fácil (ed. Gente). A publicação traça os pontos da negociação relacional que aborda uma nova visão para alcançar resultados além dos previstos.

Na obra, Simone Simon compartilha experiências próprias e situações vividas desde profissionais liberais e executivos de segmentos distintos, que em comum enfrentaram todo o tipo de situação ao se sentar à mesa para tomar decisões que mudaram a rotina de pessoas e empresas, e que causaram desfechos inesperados de forma positiva e negativa.

“Antigamente o negociador buscava resultados satisfatórios no momento, com o foco limitado apenas na transação em si. No mundo de hoje esse perfil está ultrapassado, é preciso focar nos aspectos relacionais, duradouros e contínuos, que possibilitem novas negociações no futuro, mas para isso é preciso entender o lado humano para que a cooperação possa prevalecer”, explica Simone Simon.

Negociar qualquer coisa não é uma das tarefas mais fáceis, quando o assunto é salário as pessoas tem o costume de se sentirem coagidas, seja por medo, vergonha ou timidez sobre o tema, quando deveria ser uma conversa natural em qualquer entrevista de trabalho. Para se ter uma ideia, segundo pesquisa do site americano Salary.com, o profissional que não negocia seu salário pode deixar de ganhar 1 milhão de dólares ao longo de 45 anos de carreira.

“Do lado do empresário também é preciso traquejo para negociar com a equipe, para conseguir extrair o melhor de cada um, é necessário ser um bom ouvinte, ter empatia e ser solidário independentemente da situação, posterior a isso, serão criados novos vínculos de confiança, fator predominante para que a empresa alcance novos índices de crescimento”, conclui Simone Simon.