Tamanho do texto

México, 22 fev (EFE).- O Produto Interno Bruto (PIB) mexicano sofreu uma forte queda de 6,5% no ano passado em meio à crise econômica internacional, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística e Geografia (Inegi), ao apresentar os dados do quarto trimestre de 2009.

O resultado, que entra na previsão de baixa de 6,5% e 7,5% do Banco do México, ocorre depois de a economia do país crescer 1,5% em 2008 e 3,3% em 2007.

A imprensa local indicou que o resultado econômico do ano completo foi o pior desde 1995, quando o país sofreu os efeitos da forte desvalorização de dezembro de 1994, no início do mandato presidencial de Ernesto Zedillo.

A queda de 2009 ocorreu sobretudo em função da baixa de 7,3% das atividades do setor industrial e a uma queda de 6,6% no de serviços.

Por outro lado, o PIB do setor agropecuário mexicano subiu 1,8%, a nota positiva de um complicado 2009.

Entre outubro e dezembro de 2009 a economia mexicana cresceu 2,03% com relação ao trimestre anterior (julho-setembro), o que consolida a saída da recessão. No entanto, o último trimestre do ano passado registrou contração de 2,3% em relação ao mesmo período de 2008.

act/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.