Tamanho do texto

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar contabilizou nesta quinta-feira a terceira queda seguida frente ao real, em uma sessão volátil em que o mercado de câmbio acompanhou o vaivém das principais bolsas de valores. A divisa norte-americana fechou a 2,285 reais, cotação mínima do dia, com recuo de 1,17 por cento. Na máxima, o dólar chegou a subir 0,43 por cento.

Após apresentar queda nos primeiros negócios, o dólar inverteu o movimento com a piora das bolsas de valores diante da divulgação de que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos atingiram o maior patamar em 26 anos.

Mas, durante a tarde, o dólar voltou a cair, atrelado à recuperação das bolsas de valores nos EUA e no Brasil.

Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio, mencionou as expectativas dos investidores com o pacote de estímulo econômico do presidente norte-americano, Barack Obama, e com uma melhora da situação das instituições financeiras.

No final da tarde, os principais índices acionários norte-americanos subiam mais de 1 por cento, impulsionados por rumores de que os EUA podem suspender a regra de marcação a mercado para estimular o setor financeiro.

No Brasil, o principal índice de ações da Bovespa avançava mais de 2 por cento.

Além disso, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, anunciou nesta sessão que está pronto para oferecer até 36 bilhões de dólares a empresas brasileiras com dívidas no exterior. Ele acredita, no entanto, que a demanda pelos recursos das reservas internacionais ficará ao redor de 20 bilhões de dólares.

As empresas que precisarem dos recursos vão negociar as condições para um empréstimo com um dos bancos brasileiros autorizados a fazer a operação com o BC .

(Reportagem de Jenifer Corrêa)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.