Tamanho do texto

Por Silvio Cascione SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve alta frente ao real nesta segunda-feira, anulando a queda do início da sessão após a diminuição do entusiasmo no exterior com ativos de risco e saídas pontuais de moeda estrangeira.

A divisa norte-americana fechou a 1,788 real, com variação positiva de 0,11 por cento. No mês, o dólar tem queda de 1,05 por cento e, no ano, alta de 2,58 por cento.

As principais referências para a taxa de câmbio também tiveram uma tarde de poucas variações. O euro mantinha-se estável a 1,3626 dólar, após se fortalecer um pouco pela manhã, e os principais índices de ações em São Paulo e Nova York operavam em leve baixa ou perto do zero.

A ausência de indicadores econômicos relevantes no exterior contribuiu para a falta de uma orientação clara do mercado. No começo do dia, investidores ainda repercutiam o otimismo e o apetite por risco disparados na sexta-feira, quando um indicador sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos se mostrou mais forte que o esperado.

De acordo com três operadores de câmbio, que preferiram não ser identificados, a prevalência de fluxo negativo no início da sessão contribuiu para zerar a queda do dólar. Na mínima, a moeda norte-americana chegou a valer 1,773 real, menor nível desde 19 de janeiro.

A saída de moeda estrangeira diverge do cenário que o mercado espera para as próximas semanas, quando deve haver um aumento dos ingressos por conta de várias ofertas de ações programadas na bolsa paulista. Entre os destaques está a operação da companhia de estaleiros OSX, com volume estimado em até 9,9 bilhões de reais.

A perspectiva de ingressos mais encorpados tem levado os estrangeiros a eliminar as apostas que carregavam no mercado futuro a favor da alta do dólar. De acordo com dados da BM&FBovespa, os não-residentes tinham na sexta-feira apenas 271 milhões de dólares em posições compradas nos mercados de dólar futuro e cupom cambial --menor montante desde 22 de setembro.

Há cerca de um mês, essas posições superavam 7 bilhões de dólares.

No segmento comercial, o governo divulgou superávit de 500 milhões de dólares na primeira semana de março. No ano, o superávit é de 727 milhões de dólares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.