Tamanho do texto

Por Silvio Cascione SÃO PAULO (Reuters) - A volatilidade do mercado internacional contaminou o dólar nesta quinta-feira, e após bastante vaivém a moeda norte-americana fechou o dia equilibrada entre a piora de Wall Street e a alta da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

A moeda norte-americana ficou estável a 1,610 real. Pela manhã, na máxima do dia, o dólar chegou a ser cotado a 1,621 real quando a Bovespa caía 2 por cento e as bolsas de Noca York acentuavam as perdas.

Para Mario Battistel, gerente de câmbio da Fair Corretora, a movimentação do dólar esteve associada ao comportamento das bolsas. No exterior, o mercado oscilou entre a preocupação com o setor financeiro e a alta do petróleo e o alívio provocado pela fala do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke.

Enquanto os negócios no câmbio eram encerrados, as bolsas em Nova York tinham leve baixa e a Bovespa subia 1 por cento.

No mês, o dólar acumula alta de 0,8 por cento. Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora, vê a intensificação da saída de recursos do país como um dos principais fatores para que a moeda norte-americana se sustente acima do patamar de 1,60 real nos últimos dias.

Após o fechamento do primeiro semestre deve ter aumentado 'o volume de remessas financeiras decorrentes de dividendos intermediários e juros sobre capital', disse em relatório.

O Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista na última hora de negócios. Foi aceita apenas uma das propostas divulgadas, segundo um operador, com taxa de corte de 1,6074 real.

(Edição de Vanessa Stelzer)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.