Tamanho do texto

SÃO PAULO - O mês é outro, mas o dólar mantém o viés de baixa verificado em abril e tenta firmar posição abaixo de R$ 1,730. Apesar da queda do euro ante o dólar, o cenário externo dá suporte à valorização da moeda brasileira, com avanço das bolsas e tentativa de alta nas commodities.

SÃO PAULO - O mês é outro, mas o dólar mantém o viés de baixa verificado em abril e tenta firmar posição abaixo de R$ 1,730. Apesar da queda do euro ante o dólar, o cenário externo dá suporte à valorização da moeda brasileira, com avanço das bolsas e tentativa de alta nas commodities. Por volta das 10h45, o dólar comercial caía 0,40%, a R$ 1,729 na compra e R$ 1,731 na venda. No mercado futuro, o dólar com vencimento para junho, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), cedia 0,34%, a R$ 1,7405. Durante o fim de semana foi acertado um novo pacote de ajusta à Grécia no valor de 110 bilhões de euros, sendo 80 bilhões de euros da zona do euro e 30 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI). Em contrapartida, o país se compromete a economizar 30 bilhões de euros, ou o equivalente a 11% do PIB, em três anos. Notícias relevantes também da China, que tomou novas medidas para conter o aquecimento da economia. Ontem, o banco central chinês elevou pela terceira vez no ano alíquota do depósito compulsório. De volta ao câmbio local, atenção às intervenções do Banco Central (BC) no mercado à vista. Na quinta e na sexta-feira da semana passada, o BC fez duas atuações diárias no pronto. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.