Tamanho do texto

SÃO PAULO - Depois de oscilar diversas vezes entre ganhos e perdas os contratos de juros futuros fecharam a quarta-feira sem tendência definida na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). De acordo com o economista-chefe do Banco Schahin, Sílvio Campos Neto, a instabilidade da curva reflete o espaço limitado para novas apostas de corte de juros e a ausência de motivo para puxar as taxas para cima de forma sustentada.

Com isso, ao final do pregão, o contrato de Deposito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010, o mais líquido, fechou com alta de 0,04 ponto, a 11,21%. O contrato para janeiro 2011 subiu 0,01 ponto, a 11,39%, e janeiro 2012 apontava 11,60%, com desvalorização de 0,02 ponto.

Na ponta curta, o DI para fevereiro de 2009 marcava 12,65%, alta de 0,02 ponto. E os vencimentos para março e julho fecharam estáveis a 12,63% e 11,73%, respectivamente.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 348.185 contratos, equivalentes a R$ 30,93 bilhões (US$ 13,38 bilhões), montante 38% menor do que o registrado ontem. O vencimento de janeiro de 2010 foi o mais negociado, com 191.085 contratos, equivalentes a R$ 17,33 bilhões (US$ 7,5 bilhões).

Segundo Neto, o viés dos contratos é claramente de baixa e os dados sobre atividade e inflação dão suporte a isso. No entanto, as possíveis reduções de juros já estão bem precificadas na curva. Por isso, os vencimentos devem ficar oscilando dentro de um intervalo bem delimitado.

Os agentes também aguardam a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Para Neto, o documento deve explicar a mudança drástica de atuação do Banco Central, que cortou a Selic em 1 ponto percentual na semana passada. Também deve esclarecer o motivo do dissenso entre os membros, pois a decisão foi de cinco votos por 1 ponto e três por corte de 0,75 ponto. "A ata deve ajudar a fechar a previsão para a seqüência de redução de juros."
Na gestão da dívida pública, o Tesouro realizou a segunda etapa do leilão de Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-B), que acontece por meio da transferência de títulos.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.