Tamanho do texto

SÃO PAULO - Esta semana começou de forma negativa para os mercados europeus. O nervosismo entre os agentes é alimentado por expectativas pessimistas com relação à duração e à gravidade dos efeitos da crise econômica mundial.

Os mercados da região respondem às palavras dos economistas do Banco Mundial, que ontem anunciaram a previsão de que a economia internacional e o volume de comércio global irão encolher este ano pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial.

Em outra previsão negativa, os presidentes dos principais bancos centrais do planeta concordaram nesta segunda-feira que a economia mundial terá crescimento próximo de zero em 2009. Jean-Claude Trichet, presidente do Banco Central Europeu (BCE), disse que as economias desenvolvidas terão contração em sua atividade econômica, mas que as economias emergentes continuarão crescendo.

Outra notícia que mexe com os mercados é o aumento do controle do governo britânico sobre o banco Lloyds Banking Group. As ações do Lloyds caíam há pouco 9,1% na bolsa londrina.

O índice londrino FTSE-100 operava em queda de 0,32%, aos 3.519,58 pontos. O DAX, de Frankfurt, caía 0,61%, aos 2.519 pontos, enquanto o parisiense CAC-40 estava quase estável, com recuo de 0,02%, somando 3.666,23 pontos.

(Vanessa Dezem | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.