Tamanho do texto

Consumidores fizeram filas ontem em postos de combustíveis de sete cidades para abastecer seus veículos com desconto de 53% no preço da gasolina, oferecido em protesto contra a alta carga tributária no País. O desconto equivale ao que se paga em tributos sobre o combustível.

Consumidores fizeram filas ontem em postos de combustíveis de sete cidades para abastecer seus veículos com desconto de 53% no preço da gasolina, oferecido em protesto contra a alta carga tributária no País. O desconto equivale ao que se paga em tributos sobre o combustível. Foi assim que um grupo de entidades e organizações não-governamentais promoveu o Dia da Liberdade de Impostos.

O objetivo do movimento é conscientizar a população da abusiva carga tributária no País, contou o presidente do Instituto Ludwig von Mises Brasil (IMB), Helio Beltrão, que organizou o evento na capital paulista, em parceria com o Movimento Endireita Brasil. "Muitos consumidores nem mesmo sabem, mas pagam cerca de 40% em tributos em cada produto comprado", disse Beltrão. "Trabalhamos praticamente cinco meses do ano apenas para bancar o governo. Somos escravos do governo."

Segundo ele, a gasolina foi escolhida como tema do protesto por ser um item que mexe no bolso de consumidores de diferentes níveis salariais. "De motoboys a donos de carros importados fizeram parte da fila para aproveitar o preço baixo." O Dia da Liberdade de Impostos foi realizado pela primeira vez em 2003, em Porto Alegre, pelo Instituto Liberdade. Desde então, diversas cidades no Rio Grande do Sul aderiram ao protesto. No ano passado, pela primeira vez foi realizado simultaneamente em quatro capitais.

Ontem, a gasolina foi vendida pela metade do preço em postos credenciados pelo movimento em São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Vitória, Colatina (ES), e nos municípios gaúchos de Lageado e Novo Hamburgo. O movimento começou no sábado, no Rio de Janeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.