Tamanho do texto

SÃO PAULO - A instabilidade é grande no mercado de câmbio. Depois de uma puxada de alta de 1,40%, a moeda voltou a ter desvalorização.

Em pouco mais de 3 horas de pregão, o dólar já oscilou de R$ 1,875 a R$ 1,826. Por volta das 12h20, a moeda caía 0,64%, a R$ 1,835 na compra e R$ 1,837 na venda. Na semana, no entanto, o ganho acumulado é de 5,70%. No mercado futuro, o dólar com vencimento para junho, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), recuava 0,91%, a R$ 1,847. O gerente da mesa de câmbio da BGC Liquidez, Francisco Carvalho, comentou que o mercado está perdido ainda e esse ambiente de exacerbada volatilidade lembra os pregões pré-crise e de crise de 2008. "É muita especulação do que pode acontecer com relação à Europa. Não existe certeza de nada, só achismo. Pura especulação", explica o gerente. Uma saída interessante para conter essa volatilidade, segundo Carvalho, seria o Federal Reserve (Fed), banco central americano, acertar uma linha de swap (troca) com o Banco Central Europeu (BCE). Assim, a autoridade monetária europeia conseguiria conter esse ataque especulativo que acontece contra o euro, que já caiu mais de 6% na semana. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.