Tamanho do texto

O número um mundial do aço, a ArcelorMittal, anunciou nesta quarta-feira que no terceiro trimestre de 2009 registrou um lucro de US$ 903 milhões depois de nove meses no vermelho, e prevê uma melhoria progressiva em 2010 graças aos países emergentes, como a China.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577578628&_c_=MiGComponente_C

Apesar do lucro ser inferior em 75% ao registrado um ano antes, esta é uma boa notícia para os analistas, que previam um novo trimestre em baixa.

"Voltamos a ter lucros depois de três semestres de perdas e essa é uma boa notícia", confirmou o diretor financeiro, Aditya Mittal, durante coletiva por telefone em Luxemburgo, onde fica a sede do grupo.

Um sinal de que a demanda de aço está se recuperando é que a ArcelorMittal reativou nos últimos meses seus altos fornos na França, Bélgica, Espanha e Estados Unidos, cuja atividade havia sido reduzida ao máximo.

A recuperação também foi possível graças a importantes cortes de custos. Em um ano, o grupo impulsionou um vasto plano de aposentadorias antecipadas que permitiu a redução de 39 mil empregados dos 287 mil funcionários em todo o mundo.

Para o quarto trimestre, a ArcelorMittal espera um novo avanço de seus lucros em relação ao terceiro trimestre em função de um aumento das encomendas de aço e dos preços de venda.

No entanto, o ambiente no setor siderúrgico, muito atingido pela crise no setor automotivo e da construção, principais consumidores de aço, continua sendo difícil.

As vendas trimestrais ficaram nos 11,3 bilhões de euros, abaixo mais da metade das registradas em 2008.

A Associação Mundial do Aço anunciou em meados de outubro que, para 2009, prevê uma recuperação do nível graças à demanda chinesa.

Leia também:


Leia mais sobre : ArcelorMittal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.