Tamanho do texto

BRASÍLIA - O déficit previdenciário de setembro ficou em R$ 7,41 bilhões, com queda real (descontada a inflação pelo INPC) de 24,3% sobre os R$ 9,8 bilhões de igual mês de 2007. Também o acumulado dos primeiros nove meses do ano registra recuo, de 16,4%, somando R$ 32,38 bilhões negativos.

Em 2007, o déficit foi de R$ 38,73 bilhões no período.

A retração indica que há chances de as contas do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), de trabalhadores do setor privado, fecharem 2008 melhores do que o resultado de 2007. A previsão do ministro da Previdência Social, José Pimentel, é de uma redução em torno de R$ 10 bilhões no saldo negativo.

Segundo o ministro, o déficit previdenciário deve ficar em torno de R$ 38 bilhões este ano, ante os R$ 48,4 bilhões negativos do ano passado.

De janeiro a setembro, a arrecadação do INSS totalizou R$ 115,55 bilhões, com alta real de 9,7% sobre os R$ 105,38 bilhões de igual intervalo do ano passado. As despesas com o pagamento de aposentadorias e pensões subiram 2,7%, atingindo R$ 147,93 bilhões ante R$ 144,1 bilhões anteriores.

Apenas em setembro, a arrecadação líquida ficou em R$ 13,43 bilhões, subindo 10,1% ante os R$ 12,19 bilhões recolhidos em setembro do ano passado. Já o pagamento de benefícios ficou em R$ 20,84 bilhões, uma retração de 5,2% sobre os R$ 21,99 bilhões despendidos no mesmo mês anterior.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.