Tamanho do texto

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS (Reuters) - A Grécia teve um déficit orçamentário bem maior que o esperado no ano passado e os dados podem ser revisados novamente devido à sua falta de confiabilidade, disse a agência de estatísticas da União Europeia, provocando a queda do euro.

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS (Reuters) - A Grécia teve um déficit orçamentário bem maior que o esperado no ano passado e os dados podem ser revisados novamente devido à sua falta de confiabilidade, disse a agência de estatísticas da União Europeia, provocando a queda do euro.

"Parece que uma situação terrível acabou de piorar", disse Nick Kounis, economista da Fortis.

A Grécia, que está negociando um pacote de resgate com a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), teve um déficit de 13,6 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), e não 12,7 por cento como estimado anteriormente, disse a Eurostat.

Mas o déficit pode ter sido ainda maior.

"A Eurostat está expressando reservas sobre a qualidade dos dados informados pela Grécia, devido a incertezas sobre o superávit de fundos de previdência para 2009, sobre a classificação de algumas entidades públicas e sobre o registro de off-market swaps", disse a Eurostat em comunicado.

"Após o término das investigações que a Eurostat está conduzindo ... em cooperação com as autoridades estatísticas gregas, isso pode levar a uma revisão para o ano de 2009 na ordem de 0,3 a 0,5 pontos percentuais do PIB para o déficit, e de 5 a 7 pontos percentuais do PIB para a dívida", disse a agência.

Os preços dos bônus gregos caíram depois da divulgação dos dados, com o rendimento dos bônus governamentais de 10 anos sobre os alemães subindo para 571 pontos-básicos, superando a máxima anterior de 532 pontos-básicos, e com o rendimento do bônus grego de 10 anos atingindo uma nova máxima 8,5 por cento.

"O que me preocupa é a incerteza geral sobre os números oficiais gregos. Isso afeta a percepção do mercado sobre a Grécia ... que não se pode confiar nas estatísticas gregas e que o déficit será revisado para cima e para cima", disse Giada Giani, economista do Citigroup.

O Ministério das Finanças grego disse em comunicado que a revisão para cima do déficit se deve à revisão para baixo da estimativa do PIB em 2009, assim como à reavaliação das contas de fundos de pensão.

O ministério manteve a meta de redução do déficit orçamentário neste ano em "pelo menos 4 pontos percentuais" do PIB, mas economistas disseram que o novo ponto de partida pode gerar dúvidas sobre a capacidade de Atenas de cortá-lo para 8,7 por cento do PIB como planejado anteriormente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.