Tamanho do texto

SÃO PAULO - O déficit da balança de bens e serviços do Reino Unido aumentou em novembro, saindo de 3,9 bilhões de libras (US$ 5,6 bilhões) em outubro, para 4,5 bilhões de libras (US$ 6,5 bilhões) no 11° mês do ano passado, no dado sazonalmente ajustado. O pior resultado foi no comércio internacional de bens, que atingiu um déficit de 8,3 bilhões de libras em novembro, valor maior do que o déficit de 7,6 bilhões no montante revisado referente a outubro. Este resultado é o pior desde 1697, quando foi feita a primeira apuração.

O total de exportação de bens em novembro caiu 5,8%, enquanto o total de importações recuou 1,8%.

O déficit relacionado aos países da União Européia alcançou 3 bilhões de libras em novembro, sendo que, em outubro, era de 3,2 bilhões de libras. A principal queda foi registrada nas exportações dos produtos semi-manufaturados. Houve diminuição nas importações de carros, bens intermediários e também nos semi-manufaturados.

Com os países que não fazem parte da União Européia, o déficit comercial atingiu 5,3 bilhões de libras, número acima dos 4,4 bilhões de libras registrados em outubro. Petróleo, produtos químicos, aviões, carros, bens semi-manufaturados e materiais básicos foram os produtos que apresentaram queda nas exportações. Já os produtos cujas importações mais diminuíram foram as pedras preciosas, os bens de consumo e o petróleo.

Na balança de serviços, o Reino Unido teve superávit de 3,9 bilhões de libras em novembro, ante 3,8 bilhões de libras no mês anterior.

(Vanessa Dezem | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.