Tamanho do texto

SÃO PAULO - As bolsas de valores americanas fecharam em forte alta ontem, após o Federal Reserve cortar os juros para uma mínima histórica e prometer mais ações não convencionais para combater a maior recessão em gerações. O índice Dow Jones teve alta de 4,20%, a 8.924 pontos.

O Standard & Poor´s 500 subiu 5,14%, a 913 pontos. O Nasdaq avançou 5,41%, a 1.589 pontos.

Os bancos tiveram forte alta, impulsionados tanto pelo corte do Fed como pelas perdas abaixo do esperado do Goldman Sachs. As ações do Goldman subiram mais de 14%, superando a alta de 11% do índice financeiro do S & P.

As ações operavam em leve alta até meados do dia, com o otimismo de que o Fed, em sua última reunião de 2008, poderia tomar medidas drásticas para combater a crise de crédito e a desaceleração econômica. Mas a alta se amplificou após o banco central divulgar seu comunicado durante a tarde, impulsionando os principais índices acionários para suas melhores performances do mês.

" O corte do juro foi definitivamente maior do que muitas pessoas esperavam e isto está ajudando o mercado aqui. Mas o principal impulso é o Bernakle se virando para os mercados e tentando liberar o crédito " , afirmou Jocelynn Drake, analista da Schaeffer´s Investment Research.

As ações negociadas no mercado europeu fecharam em alta, com o setor bancário registrando ganhos após resultados do Goldman Sachs terem ficado acima de expectativas, e à medida que investidores apostavam no corte dos juros nos EUA. O índice FTSEurofirst 300 das principais ações européias teve fechamento em alta de 0,92%, a 834 pontos.

O índice perdeu mais de 44% de seu valor no ano, puxado por uma crise de crédito que levou muitas das grandes economias mundiais à recessão.

O setor bancário europeu se valorizou. BNP Paribas, Deutsche Bank e UBS terminaram com altas entre 1,7% e 4,9%.

Ações defensivas também tiveram bom desempenho, com GlaxoSmithKline em alta de 1,7% e Sanofi-Aventis subindo 3,3%.

Em Londres, o índice Financial Times aumentou 0,74%, a 4.309 pontos. Na bolsa de Frankfurt, o indicador DAX avançou 1,61%, para 4.729 pontos. Em Paris, o CAC-40 subiu 2,07%, para 3.251 pontos. Houve alta de 1,02% (15.064 pontos) no índice de Mibtel, da bolsa de Milão. Em Madri, o Ibex-35 subiu 1,59% (9.167 pontos), ao passo que o PSI20, de Lisboa, ganhou 0,38% (6.160 pontos).

(Valor Econômico, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.