Tamanho do texto

O Itaú e o Unibanco escolheram o auditório do Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo, no Parque do Ibirapuera, para explicar à imprensa a fusão. A entrevista, que começou com cerca de 40 minutos de atraso, foi marcada por um clima amistoso entre os presidentes dos dois grupos, Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles.

Assim que tomaram seus lugares na bancada, Setubal e Salles se abraçaram, para alegria dos dezenas de fotógrafos e cinegrafistas que registravam o evento.

Após rápidas palavras iniciais de ambos, começou a sessão de perguntas. Salles, então, mostrou ótimo humor e, por vezes, roubou a cena. Arrancou risos da platéia e chegou a ser aplaudido após uma brincadeira com o slogan "O Itaú foi feito para você", do ex-rival.

Salles comentava a estratégia de crescimento orgânico adotada pelo Unibanco nos últimos anos. Segundo ele, a marca de 1.000 agências foi atingida apenas recentemente. "Levamos 84 anos para abrir 1.000 agências. Agora, como o Itaú foi feito para mim, eu tô trazendo 3.000 agências com esse negócio", brincou.

Pouco antes, havia dito que o objetivo do Unibanco era "ultrapassar o Itaú em rentabilidade até 2010". "Estávamos caminhando muito bem nesse sentido", disse, sorrindo.

Quando uma jornalista perguntou sobre o futuro das atividades culturais do Itaú e do Unibanco, Moreira Salles fez nova piada. "Os (temas) mais graves são os cinemas, um assunto realmente complexo que ainda não discutimos", disse.

O presidente do Unibanco também disse que tinha - e tem - muito respeito pelo Itaú e por Roberto Setubal, "que era um concorrente". "Ao longo desse processo (de 15 meses), descobri que poderia ter um amigo. Hoje deixamos de ser concorrentes, ficamos só amigos e acho que viramos sócios."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.