Tamanho do texto

Os efeitos da crise provocaram um baque no desempenho da Eletrobrás no ano passado. Fortemente influenciada pelo dólar, a empresa sofreu, com a valorização do real ante a moeda americana, uma queda de 97,2% no lucro em 2009.

Os efeitos da crise provocaram um baque no desempenho da Eletrobrás no ano passado. Fortemente influenciada pelo dólar, a empresa sofreu, com a valorização do real ante a moeda americana, uma queda de 97,2% no lucro em 2009. Segundo comunicado distribuído na noite de ontem, a estatal fechou o ano com um lucro de R$ 170,5 milhões, resultado muito distante dos R$ 6,137 bilhões do ano anterior. O desempenho foi fortemente influenciado pelo efeito do câmbio sobre os recebíveis da estatal, que é credora em dólar de várias empresas do setor elétrico brasileiro. No quarto trimestre, o lucro foi de R$ 1,706 bilhão (queda de 43,8% em relação ao mesmo período de 2009). A Eletrobrás, que hoje analisa o resultado com analistas de mercado, não fez comentários sobre o desempenho no balanço divulgado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Apenas voltou a destacar o efeito do câmbio, que provocou despesa líquida financeira de R$ 4,618 bilhões - no ano anterior, quando o dólar estava caro, o resultado foi positivo em R$ 4,297 bilhões. O governo vem se empenhando em dar musculatura à Eletrobrás e transformá-la na "Petrobrás do setor elétrico", como já definiu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Recentemente, a estatal divulgou sua mudança de marca e redefiniu também políticas de governança em relação às suas seis subsidiárias. A holding passou a padronizar as estratégicas empresariais do grupo. Divulgou, também, planos de internacionalização. A empresa vem estudando medidas para atenuar o peso do câmbio em seu balanço e já anunciou que pretende captar este ano até US$ 4 bilhões, que funcionariam como hedge cambial. No ano passado, a variação do dólar contribuiu para um resultado financeiro negativo de R$ 5,273 bilhões no ano, ante um resultado positivo de R$ 3,383 bilhões no ano anterior. Os recebíveis em moeda estrangeira, grande parte referente à dívida pela construção de Itaipu, somam US$ 5,612 bilhões. Os dados operacionais tiveram queda menor. A receita operacional, por exemplo, caiu 9% no ano, para R$ 27,652 bilhões. Já o Ebitda recuou 5,54%, para R$ 5,188 bilhões. As margens operacionais caíram 2,5 pontos porcentuais, para 16,8%. A empresa fechou 2009 com valor de mercado de R$ 40,1 bilhões, 38,6% superior ao do último dia de 2008. Mudanças. A Eletrobrás informou ontem que seu conselho de administração aprovou a saída do diretor financeiro, Astrogildo Quental, e sua substituição pelo técnico Armando Casado. A estatal não deu detalhes, mas segundo fontes Quental estaria deixando o cargo para assumir um posto no setor privado.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.