Tamanho do texto

Viena, 21 out (EFE).- O barril da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) foi negociado na segunda-feira a US$ 64,63, uma alta de US$ 1,71 em relação à sessão anterior, informou hoje em Viena o secretariado do cartel.

A escalada das últimas sessões é atribuída às declarações de vários ministros da Opep, que indicavam que já há um consenso para reduzir a oferta da commodity na reunião da próxima sexta-feira em Viena.

"O preço internacional do petróleo e de seus derivados subiu ontem devido aos temores de que a Opep reduza sua produção em reunião de urgência programada para o fim desta semana e à esperança de que outro pacote de estímulo econômico nos EUA poderia aumentar a demanda", resumem hoje os analistas da empresa de consultoria de energia JBC.

O ministro de Energia argelino e atual presidente da Opep, Chakib Khelil, declarou ontem que existe um consenso entre os membros da organização para reduzir a produção na reunião da sexta-feira.

Em entrevista à rádio pública argelina, Khelil ressaltou que a situação do mercado petroleiro é "suficientemente urgente" para justificar esta reunião e constatou que existe um excedente de petróleo no mercado que provoca a queda dos preços.

"Há um estoque de petróleo muito elevado nos Estados Unidos e um excesso no mercado em relação à demanda. Este excedente, se for mantido, criará uma situação insustentável para os países produtores", afirmou. EFE ll/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.