Tamanho do texto

Na sexta-feira, documento assinado por 17 ministros das Finanças da zona do euro deve oficializar aumento do fundo

Ministros das Finanças da zona do euro estão preparados para aumentar o limite máximo combinado de empréstimos de seus dois fundos de resgate na sexta-feira e acelerar mais o pagamento de capital para o fundo permanente, a fim de permitir que ele atinja antes a capacidade, mostrou o esboço de uma declaração do Eurogrupo.

Veja também: Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem para mínima em 4 anos

O documento, a ser divulgado pelos 17 ministros das Finanças da zona do euro na sexta-feira, também dirá que se novos resgates forem necessários para os países da zona do euro após o fundo permanente Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês) começar a funcionar em julho, eles serão tratados pelo ESM e não pelo temporário Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF, na sigla em inglês) que expira em julho de 2013.

"O ESM será o principal instrumento para financiar novos programas a partir de julho de 2012", informou a versão preliminar da declaração, obtida pela Reuters. "O EFSF só permanecerá ativo, em regra, no financiamento de programas que tenham sido iniciados antes dessa data."

Leia mais: Espanha enfrenta greve geral

"Até meados de 2013, ele poderá se envolver em novos programas em circunstâncias excepcionais, seguindo uma decisão unânime de chefes de Estado da zona do euro ou de representantes dos governos no caso de a capacidade do ESM se revelar insuficiente", afirmou.

"O limite máximo total de empréstimo do ESM/EFSF será aumentado de tal modo que o ESM e o EFSF serão capazes de operar, se necessário, como descrito acima, na sua capacidade total para o período em que o EFSF permanece disponível, isto é, até meados de 2013", informou o projeto.

"A partir de meados de 2013, o volume máximo de empréstimo do ESM será de 500 bilhões de euros. Na ausência de um novo programa EFSF, o teto de empréstimo combinado do ESM e do EFSF será, assim, fixado em 700 bilhões de euros para o período pós-meados de 2013 ", informou o documento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.