Tamanho do texto

Estratégia para mostrar a união do bloco foi mal recebida pelo público

A Comissão Europeia retirou do ar um vídeo de sua mais recente campanha para promover o crescimento da União Europeia após acusações de racismo na internet.

O vídeo mostra três lutadores de artes marciais se preparando para enfrentar uma mulher branca com um visual parecido com o da atriz Uma Thurman nos filmes "Kill Bill". Primeiro, um especialista em Kung Fu do leste asiático pula em frente à lutadora. Em seguida, o mestre da arte indiana Kalaripayattu aponta uma espada contra a mulher. Por último, um capoeirista negro derruba uma porta e invade o galpão.

Quando ela se multiplica para formar um círculo ao redor dos rivais, estes imediatamente largam suas armas e as 12 projeções da mulher formam as estrelas da bandeira da União Europeia.

Assista abaixo 

Desculpas

Em comunicado, a Comissão disse que lamenta que o vídeo tenha parecido racista e se desculpa por sua divulgação.

Apesar disso, Stefano Sannino, diretor-geral Comissão Europeia, afirma que a avalição do público entre 16 e 24 anos foi positiva “por gostarem de temas de artes marciais e videogames”.

A Europa tem vivido diversas polêmicas recentes envolvendo estrangeiros por conta do aumento do fluxo de imigrantes em razão da crise econômica. 

* Com BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.