Tamanho do texto

Procuradoria italiana já investiga outras agências de classificação de risco por supostos delitos de especulação abusiva

Agentes da Polícia Fiscal italiana inspecionaram nesta terça-feira a sede da agência de classificação de risco Fitch em Milão, após as buscas realizadas na quinta-feira nos escritórios da Standard & Poor's (S&P) na mesma cidade, considerada a capital financeira do país.

Leia também: Fiat suspende turno em cinco fábricas na Itália por greve

Segundo informam os meios de comunicação italianos, as "comprovações e verificações" nos escritórios da Fitch são realizadas por ordem da Procuradoria de Trani (sudeste da Itália), que já investiga a S&P e a Moody's por supostos delitos de especulação abusiva, manipulação de mercado e uso ilícito de informação privilegiada.

Em agosto do último ano, também por ordem dos procuradores de Trani, a Polícia apreendeu vários documentos pertencentes a Moody's e a S&P, as duas únicas agências que se tem conhecimento de estarem sendo investigadas. As investigações da Procuradoria de Trani surgem por denúncias de associações de consumidores italianos e têm a colaboração da Comissão Nacional da Bolsa de Valores (Consob) italiana.

Confira a cobertura completa da Crise Econômica Mundial

Até o momento, a Procuradoria de Trani tinha informado sobre duas investigações paralelas: uma primeira aberta em janeiro de 2011 e que afeta a Moody's pelo relatório divulgado em 6 de maio de 2010 no qual afirmava que o sistema bancário italiano estava entre aqueles em risco perante os problemas financeiros da Grécia . E uma segunda, que corresponde às avaliações expressadas pela S&P em três ocasiões diferentes, uma das quais colocava dúvidas sobre um dos planos de ajuste orçamentário do Governo italiano antes que ele fosse ao Parlamento.

As duas outras ocasiões correspondem a relatórios divulgados em maio, nos quais a agência colocava em perspectiva negativa a avaliação creditícia da dívida soberana da Itália e de vários bancos italianos. Segundo a imprensa italiana, a Procuradoria de Trani ampliou recentemente sua investigação também ao rebaixamento em 13 de janeiro da classificação da dívida soberana da Itália em dois degraus, de "A" a "BBB+", junto com a de vários países da zona do euro .

Leia também: Franceses protestam contra baixa de nota pela S&P

Os procuradores de Trani, liderados por Michele Ruggiero, acusam as agências de classificação de risco de terem manipulado o mercado com "julgamentos falsos, infundados ou, em qualquer caso, imprudentes" sobre o sistema econômico-financeiro italiano. Por parte da S&P são investigados os analistas Eileen Zhang, Frank Gill e Moritz Kraemer.

A responsável legal da agência na Itália, Maria Pierdicchi, se apresentará na próxima sexta-feira perante os procuradores na qualidade de testemunha. Da agência Moody's é investigado em Trani o analista que assinou o relatório de 6 de maio de 2010, Ross Abercromby. Sobre a Fitch, que nas últimas semanas ameaçou também com novos rebaixamentos a classificação da dívida soberana da Itália, não se tem até o momento informação oficial de nenhuma investigação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas