Tamanho do texto

Grupo é respaldado por pesquisas e pelos US$ 300 mil que arrecadaram pela internet até agora

O movimento "Ocupe Wall Street", que acaba de completar um mês acampado no distrito financeiro de Nova York, estende nesta terça-feira seus protestos para outras áreas de Manhattan encorajado pelo respaldo popular das pesquisas e dos US$ 300 mil já arrecadados através da internet.

Cartaz com frase: Eles pensaram que se nos ignorassem nós iríamos embora...Nós não fomos embora
ASSOCIATED PRESS/AP
Cartaz com frase: Eles pensaram que se nos ignorassem nós iríamos embora...Nós não fomos embora

"Superamos nossas expectativas mais otimistas. Temos cada vez mais apoios e não vamos sair daqui", afirmou à Agência Efe Mark Bray, um dos porta-vozes dos manifestantes nova-iorquinos.

Bray detalhou que começarão seu percurso de hoje na casa de leilões Sotheby's, onde apoiarão uma concentração sindical a favor de dezenas de trabalhadores envolvidos em uma disputa contratual com a empresa.

Dali se transferirão para o escritório do promotor de Manhattan, Cyrus Vance, para protestar pelos 20 ativistas presos no sábado passado por invadir uma filial do Citibank para fechar suas contas.

Os manifestantes terminarão a quarta-feira no Lincoln Center, onde está previsto um protesto contra as guerras convocado pelo grupo de mulheres idosas "Granny Peace Brigade".

O movimento "Occupy Wall Street" completou na segunda-feira um mês entrincheirado no bairro para protestar contra os excessos do sistema financeiro. Segundo uma pesquisa da Universidade de Quinnipiac, dois terços dos nova-iorquinos apoiam os protestos e 72% opina que os ativistas têm o direito de ficar na praça Zucotti enquanto respeitarem as leis.

Veja mais:

Movimento 'Ocupem Wall Street' chega ao primeiro mês

'Ocupe Wall Street' leva manifestantes de vários países às ruas

Manifestantes anti-Wall Street protestam contra bancos

Bray detalhou à Efe que "Occupy Wall Street" conseguiu acumular até o momento mais de US$ 300 mil em doações e possuem um amplo armazém no sul de Manhattan para guardar seus móveis e utensílios próximo ao parque no qual estão entrincheirados.

Nesse espaço, doado por um sindicato de professores, chegam a cada dia 300 caixas de comida, roupa, cobertores, sacos de dormir e outros artigos, enquanto o dinheiro é depositado em uma conta que abriram na entidade financeira sindical Amalgamated Bank.

Cerca de cinco mil seguidores da iniciativa marcharam no sábado passado do distrito financeiro até à Times Square, onde 74 ativistas foram presos por alteração da ordem pública enquanto milhares de pessoas no mundo todo realizaram vários protestos em solidariedade.