Tamanho do texto

Indústrias estão otimistas sobre suas condições em março pela primeira vez em quatro meses

As exportações do Japão recuaram em fevereiro a um ritmo mais lento do que no mês anterior, trazendo inesperadamente a balança comercial para seu primeiro superávit em cinco meses, em um sinal de que a retomada da demanda externa ajudará a economia a se recuperar nos próximos meses.

Em mais um sinal de encorajamento, as indústrias tornaram-se otimistas sobre suas condições em março pela primeira vez em quatro meses graças a melhores percepções sobre a economia mundial e à retração do iene depois de ter atingido um recorde, de acordo com uma pesquisa mensal da Reuters.

As exportações do Japão caíram 2,7% em fevereiro ante o ano anterior, mostraram dados do Ministério das Finanças nesta quinta-feira, abaixo da mediana das previsões de economistas, de um declínio anual de 6,4% e após uma queda de 9,3% no ano até janeiro.

O superávit comercial atingiu 32,9 bilhões de ienes (393 milhões de dólares), o primeiro superávit em cinco meses, contra mediana das estimativas do mercado, de déficit de 120 bilhões de ienes. Em janeiro, o país apresentou o maior déficit comercial de sua hístória, de 1,475 trilhão de ienes.

O Japão deve voltar a ter um déficit comercial nos próximos meses, pois importa mais combustíveis fósseis para compensar a queda no uso da energia nuclear, mas a melhora das exportações e do sentimento empresarial pode tirar a pressão do Banco do Japão para afrouxar a política monetária.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.