Tamanho do texto

Demissão de 30 mil servidores é estimada no projeto de lei que será votado na próxima semana

O governo da Grécia encaminhou nesta quinta-feira um projeto de lei ao Parlamento que inclui a suspensão de 30 mil servidores civis até o fim do ano e o corte de salários em estimados 2,8 bilhões de euros (R$ 6,88 bilhões). Os congressistas votarão o projeto na semana que vem.

Cobertura completa da Crise Econômica Mundial

Os novos cortes somam-se a reduções já propostas para salários e aposentadorias e aos vários aumentos de impostos ocorridos no último um ano e meio. Em meio a uma taxa de desemprego de 16%, os gregos vêm promovendo manifestações contra essas medidas de austeridade.

Um dia após uma paralisação nacional que fechou órgãos do governo e boa parte do transporte público, cerca de 50 funcionários do Ministério de Finanças protestaram pacificamente contra os cortes nos salários. Militares reformados do Exército, por sua vez, fizeram uma manifestação diante do Ministério da Defesa contra as reduções das aposentadorias.

O ministro de Finanças do país, Evangelos Venizelos, já disse que a Grécia tem dinheiro suficiente para pagar aposentadorias, salários e portadores de bônus até meados de novembro. Mas o país, para não falir, precisa da próxima parcela de 8 bilhões de euros (aproximadamente R$ 20 bilhões) do empréstimo internacional que recebeu. Inspetores de dívida do Fundo Monetário Internacional, do Banco Central Europeu e da Comissão Europeia estão agora em Atenas avaliando as reformas promovidas pelo país antes de liberar a quantia.

Leia também:

Inferno grego: trabalhadores vivem pior crise desde a 2ª Guerra
Entenda a Crise Econômica Mundial