Tamanho do texto

Governo grego ainda pretende cortar mais as aposentadorias, que já foram diminuídas em 40%, caso país não saia da recessão

A Grécia deixará de pagar 40.000 pensões por aposentadorias cobrada de maneira indevida, declarou o ministro do Trabalho, Giorgos Koutromanis, nesta quarta-feira, em um momento em que o governo se esforça para conter os gastos que conduziram ao endividamento do país.

Leia também: Governo grego quer limitar déficit público na Constituição

O ministro Koutromanis também advertiu que as aposentadorias, que já foram cortadas em 40% nos últimos dois anos, podem ser submetidas a novos cortes caso a Grécia, que entrou no seu quinto ano de recessão, não consiga sair dela."Caso a recessão continue em 2013, 2014 e 2015, não poderemos manter o mesmo nível de salários e pensões", disse o ministro ao Parlamento, citado pela agência de imprensa Ana.

O Ministério grego de Finanças anunciou na terça-feira que poria em dia a lista de aposentados das funções públicas para rastrear possíveis fraudes.Esta operação foi anunciada após diversos escândalos que ilustram falhas da administração grega e a contabilidade laxista do país, que permitiu o pagamento de pensões em nome de falecidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.