Tamanho do texto

Crise afeta ainda mais a Espanha, que já tem 23,3% da população sem trabalho

O índice de desemprego na zona do euro aumentou a 10,7% em janeiro, contra 10,6% registrado em dezembro de 2011, anunciou a agência europeia de estatísticas Eurostat. Mais uma vez a Espanha é a mais afetada pelo desemprego, com uma taxa de 23,3%.

A taxa de desemprego na  zona do eurode 10,7% representa 16,92 milhões de pessoas, um aumento de 185.000 pessoas em um mês. Em janeiro do ano passado, a taxa de desemprego no bloco dos 17 países que adotaram o euro foi de 10,0%.

Depois da Espanha, o país com o segundo maior índice de desemprego é a Grécia (19,9% em novembro de 2011), seguida por Irlanda e Portugal (14,8% cada). Estes quatro países integram ao lado da Itália o grupo dos PIIGS europeus, um acrônimo utilizado para definir as economias mais ameaçadas e fragilizadas pela crise da dívida europeia.

Três destes países foram resgatados por créditos da União Europeia e todos adotaram medias rígidas de austeridade exigidas pela UE. As menores taxas de desempregos foram registradas na Áustria (4,0%), Holanda (5,0%) e Luxuemburgo (5,1%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.