Tamanho do texto

Altos preços do petróleo e da queda na arrecadação impactam resultado

O déficit de contas correntes dos Estados Unidos alcançou no quarto trimestre de 2011 o maior nível em três anos, em consequência dos altos preços do petróleo e da queda na arrecadação financeira dos americanos no exterior, informou o Departamento do Comércio.

O déficit alcançou US$ 124,1 bilhões, o maior valor desde o quarto trimestre de 2008, significativamente superior ao esperado pelos analistas (US$ 113,8 bilhões).

A maior parte do déficit provém tradicionalmente da balança comercial, que impactou no trimestre com um total de US$ 141,1 bilhões.

O aumento dos preços do petróleo no fim do ano desequilibrou ainda mais o comércio exterior dos Estados Unidos, maior consumidor mundial.

O superávit das transferências internacionais de renda caiu, a US$ 50,3 bilhões, enquanto as entradas líquidas de transferências correntes unilaterais (que incluem principalmente a ajuda internacional e as remessas dos imigrantes) foram menos estáveis, a - US$ 33,3 bilhões.

Durante o ano de 2011, o déficit em conta corrente alcançou US$ 473,4 bilhões, ou seja 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto em 2010 foi de US$ 470,9 bilhões, ou 3,2% do PIB.

Os Estados Unidos são o maior país devedor do mundo e financia o enorme buraco em seu comércio exterior pela entrada permanente de capital em seu sistema financeiro, o mais sofisticado do mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.