Tamanho do texto

"Apreciamos os importantes esforços dos países da União Europeia para estabilizar o mercado". diz governo chinês

O Governo chinês declarou nesta terça-feira que Pequim "apoiará os esforços da Europa para lutar contra o problema da dívida soberana", em sua primeira reação à decisão da agência de medição de risco Standard & Poor's (S&P) de rebaixar a classificação da dívida de nove países europeus .

Leia também:
BCE alerta para agravamento da crise, mas minimiza rebaixamentos
Fundo europeu manterá capacidade de empréstimo apesar de rebaixamento

"A recuperação mundial depende enormemente do crescimento econômico europeu e apreciamos os importantes esforços dos países da União Europeia para estabilizar o mercado", assinalou em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Liu Weimin.

A fonte oficial garantiu que a China "acredita que os países europeus serão capazes de superar suas dificuldades" e acrescentou que a segunda economia mundial "está disposta a trabalhar com a comunidade internacional para dar apoio aos esforços da Europa".

No último dia 13 de janeiro, a S&P rebaixou em dois níveis a dívida da Espanha, Itália, Portugal e Chipre, e em um a classificação de França, Áustria, Malta, Eslováquia e Eslovênia. Três dias depois, a mesma agência, muito criticada pelos Governos europeus pela decisão anterior, rebaixou a nota do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), no qual Bruxelas quer precisamente que participem nações emergentes como China.

A China é um dos países que está tentando promover agências de medição de risco alternativas as três americanas que dominam o mercado (Standard & Poor's, Moody's e Fitch), através da local agência Dagong, cujos resultados começaram a ser publicados pela imprensa oficial nos últimos meses.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas