Tamanho do texto

Para governo alemão, baixa do rating francês não afetará fundo de resgate europeu

O governo alemão minimizou nesta segunda-feira a importância da decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) de diminuir a nota da França e de outros países da zona do euro e declarou que não afetará os fundos de resgate europeu. O porta-voz do governo, Steffen Seibert, afirmou que, em primeiro lugar, tratou-se de uma decisão de apenas uma das três agências, enquanto as outras duas mantiveram a qualificação máxima à dívida francesa.

Leia também:
Resposta da UE à crise não está à altura do desafio, diz S&P
Solvência geral da zona do euro segue muito elevada, diz S&P
Sarkozy promete mais reformas após rebaixamento

Além disso, segundo o porta-voz, o volume do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) é suficiente e suas garantias não precisarão ser ampliadas. Com relação ao Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (MEEF), que deverá ter caráter permanente, o porta-voz do Ministério das Finanças, Martin Kotthaus, disse que tem uma estrutura distinta da do FEEF, o que o torna ainda menos vulnerável às decisões das agências de classificação de risco.

Por outro lado, Seibert criticou a justificativa da S&P, segundo a qual os europeus se concentraram na redução da dívida para superar a crise e descuidaram da luta contra as divergências econômicas dentro da zona do euro. Segundo Seibert, os governos europeus levaram em conta permanentemente os dois aspectos e "se preocupam tanto com a redução da dívida quanto em aumentar a competitividade".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.