Tamanho do texto

Para instituição, envolvimento do setor privado com acordo grego foi uma "exceção"

A possibilidade de um acordo para reestruturar o montante de dívida soberana de Portugal em mãos de credores privados - como o que aconteceu com a Grécia - está fora de cogitação, declarou nesta quinta-feira José Manuel Gonzales-Páramo, integrante da comissão executiva do Banco Central Europeu (BCE).

Leia também:
Presidente do BCE avalia que o pior da crise já passou
Espanha pode ser a próxima fonte de contágio da zona do euro

"Foi deixado claro desde o início que o envolvimento do setor privado no acordo com a Grécia era uma exceção", declarou Gonzales-Páramo,às margens de um fórum empresarial na cidade espanhola de Sevilha.

Nas últimas semanas, alguns analistas têm especulado que Portugal poderia precisar de um acordo com seus credores privados em decorrência de seu elevado nível de endividamento em um momento de contração econômica e implementação de medidas de austeridade.

Confira a cobertura completa da Crise Econômica Mundial

Segundo Gonzales-Páramo, uma recente análise das políticas econômicas e das medidas de austeridade de Portugal foi altamente positiva e o país não precisa de uma ação do gênero. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.