Tamanho do texto

Ex-dirigentes do Chile, Espanha e Brasil reivindicaram uma maior regulação para o sistema financeiro internacional

A América Latina emerge como "outra" depois da crise mundial, transformada em uma região "extraordinariamente atrativa" e com um potencial "muito grande", destacaram neste sábado os ex-presidentes Ricardo Lagos (Chile) e Felipe González (Espanha).

Durante uma entrevista coletiva concedida antes de um fórum organizado em Caracas e do qual também participará o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, os ex-dirigentes reivindicaram uma maior regulação para o sistema financeiro internacional.

Entenda a crise econômica mundial

Saiba mais sobre a crise na Europa e entenda quem são os “Piigs”

"Pela primeira vez podemos dizer que desta crise somos inocentes. Estávamos acostumados que as crises começassem em nossa América Latina", afirmou Lagos, que considerou que a região "emerge desta crise como outra".

O ex-governante chileno não descartou que, por ter tido tantas crises, "algo tenha sido aprendido" na região e afirmou que, desta vez, a América Latina exibiu "um sistema financeiro mais bem regulado".

González, por sua vez, considerou que a América Latina se transformou novamente em uma região "extraordinariamente atrativa" e declarou que esta é a época da Ásia e da América Latina. "Para a Espanha, a presença na América Latina tinha um nível de risco que ninguém queria assumir há 20 anos. Hoje, e tomara que os próprios espanhóis se deem conta, é uma bênção", ressaltou González, que apontou que a "região tem um potencial extraordinário no presente e no futuro".

Veja a página do iG sobre a crise econômica mundial

Para presidente do BID, Brasil será primeiro mundo em uma década

Já FHC lembrou o manejo da hiperinflação no Brasil e afirmou que frente a este problema "os pobres são os que pagam o custo do desatino dos que mandam".

Consultado sobre o tema do fórum, denominado "Palavras para a Venezuela", o ex-presidente se referiu à democracia como uma "forma de regular o que pode e o que não pode". "A democracia é principalmente uma regra que assegura aos que perdem sua oportunidade de ganhar", sentenciou FHC.

Os ex-governantes aproveitaram sua presença no país para desejar a pronta recuperação do presidente Hugo Chávez, que se recupera em Havana de uma operação que realizou em 26 de fevereiro após ter um novo tumor detectado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.