Tamanho do texto

No entanto, o índice caiu para 53,2 ante máxima de 32 meses em fevereiro de 53,3

Reuters

PMI aponta que recuperação empresarial na zona do euro se mantém forte
Getty Images
PMI aponta que recuperação empresarial na zona do euro se mantém forte

O ritmo de crescimento entre as empresas privadas da zona do euro desacelerou ligeiramente neste mês em relação à máxima de dois anos e meio em fevereiro, mas as empresas foram forçadas a reduzir preços de novo para manter o ímpeto, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) nesta segunda-feira (24).

Com uma expansão sólida tanto no setor industrial quanto de serviços, e um retorno ao crescimento na França, a recuperação parece ser ainda mais generalizada.

"A recuperação está ganhando tração. Um dos sinais particularmente encorajadores é que ela se ampliou para incluir a França", disse Chris Williamson, economista-chefe do Markit, que realiza a pesquisa.

O PMI Composto preliminar, com base em pesquisas junto a milhares de empresas e considerado um bom indicador do crescimento, caiu para 53,2 ante máxima de 32 meses em fevereiro de 53,3.

O resultado ficou ligeiramente abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters, que previa que ele se igualasse à leitura do mês passado, mas marcou o nono mês em que o índice se manteve acima da marca de 50, que separa crescimento de contração.

Veja também: Ações asiáticas sobem, mas receios sobre China e Ucrânia limitam ganhos

Williamson disse que os dados devem indicar crescimento econômico de 0,5% neste trimestre, mais forte que o 0,3% previsto em pesquisa da Reuters neste mês.

O PMI preliminar sobre o setor de serviços caiu para 52,4 ante 52,6 em fevereiro, aquém das expectativas de que não haveria mudanças. Já o PMI de indústria recuou para 53,0 ante 53,2, em linha com a mediana em pesquisa da Reuters.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.