Tamanho do texto

Na semana passada, credores internacionais alertaram que o país poderá enfrentar um déficit fiscal de pelo menos € 2 bi durante os próximos dois anos

Agência Estado

O jornal alemão Sueddeutsche Zeitung disse nesta quarta-feira (17) que a Grécia precisa de € 10 bi em setembro para cobrir seu déficit de financiamento, o que poderia ameaçar o desembolso de ajuda futura ao país. O veículo citou como fonte um funcionário da Comissão Europeia, mas a instituição desmentiu a informação. Simon O'Connor, porta-voz da Comissão, afirmou no Twitter que o programa da Grécia está "totalmente financiado pelos próximos 12 meses".

Segundo porta-voz da Comissão Europeia, credores internacionais já tinham revelado um déficit de entre € 2,8 bi e € 4,6 bi no financiamento da Grécia
AFP
Segundo porta-voz da Comissão Europeia, credores internacionais já tinham revelado um déficit de entre € 2,8 bi e € 4,6 bi no financiamento da Grécia

Segundo O'Connor, os credores internacionais já tinham revelado publicamente que havia um déficit de entre € 2,8 bi e € 4,6 bi no financiamento da Grécia, que precisaria ser coberto de alguma forma. Ele afirmou que qualquer déficit subsequente no programa "será avaliado no devido tempo com base em fatos e não em especulação".

Veja também:  Taxa de desemprego da Grécia atinge novo recorde em abril

Na semana passada, os credores internacionais alertaram que o país poderá enfrentar um déficit fiscal de pelo menos € 2 bi durante os próximos dois anos se reformas estruturais e cortes de gastos não forem implementados, de acordo com um documento oficial.

A avaliação da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu (BCE), apresentada na reunião mais recente do Eurogrupo, destacou também que a Grécia enfrenta um desafio de financiamento de prazo mais longo em 2015 e 2016 que poderia ser de "mais de 1,75% do PIB e mais de 2% do PIB, respectivamente".

O'Connor disse que o déficit de financiamento que o país terá entre hoje e o fim de 2014 poderá ser coberto pelo uso da quantia restante do pacote de socorro de € 50 bi (US$ 65,5 bi), destinado a recapitalizar os bancos gregos. Uma "reserva não utilizada poderá ser usada para reduzir o déficit de financiamento", mas somente se os testes de estresse no fim do ano dos bancos gregos mostrarem que eles não precisarão de qualquer capital adicional, destacou o porta-voz.

Leia mais:  Grécia quer atingir superávit primário sem adotar medidas de austeridade

O porta-voz da Comissão Europeia ainda afirmou que uma estimativa atualizada do déficit fiscal será publicada no relatório da Troika nas próximas semanas, mas destacou que a nova quantia será mais próxima à faixa já publicada e "significativamente menor" do que os 10 bilhões de euros reportados pelo jornal alemão. Fontes: Dow Jones Newswires e Market News International.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.