Tamanho do texto

PMI da indústria norte-americana cai para 52,2 em junho, ante 52,3 em maio; pedidos de auxílio-desemprego sobem mais que o esperado, para 354 mil na semana passada

Reuters

Índice de produção industrial e novas encomendas também crescem em junho
Getty Images
Índice de produção industrial e novas encomendas também crescem em junho

O crescimento da atividade industrial dos Estados Unidos desacelerou ligeiramente em junho, à medida que o ritmo de contratações e a demanda externa se enfraqueceram. O segundo trimestre foi o mais fraco dos últimos quatro para o setor, conforme mostrou a pesquisa Índice dos Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), nesta quinta-feira (20).

A empresa de dados financeiros Markit informou que o PMI preliminar da indústria dos Estados Unidos caiu para 52,2 em junho, ante 52,3 em maio. Uma medida acima de 50 indica expansão. A leitura de 52,2 de junho também foi a média para o segundo trimestre, atrás da média de 54,9 nos três primeiros meses do ano, indicando o pior resultado desde o terceiro trimestre de 2012.

Veja também: Obama diz que EUA e Europa precisam de mais crescimento

"O crescimento mais lento no setor de produção de bens deve ter agido como um peso na economia mais ampla", disse o economista-chefe da Markit, Chris Williamson. A economia norte-americana cresceu em uma taxa de 2,4% entre janeiro e março.

O índice de produção da Markit aumentou para 53,9, uma máxima de três meses, ante 52,7 em maio. Enquanto a medida de novas encomendas também subiu para o maior nível desde março, oferecendo certa esperança. Mas o ritmo de contratações desacelerou para 50,4, ante 52,6, refletindo a taxa de criação de empregos mais fraca desde desde janeiro de 2010.

As novas encomendas para exportação contraíram pelo segundo mês consecutivo, com a demanda geral dos consumidores externos em sua mínima desde outubro de 2012.

A leitura preliminar é baseada em respostas de cerca de 85% das indústrias norte-americanas pesquisadas. A leitura final do Markit será divulgada no primeiro dia útil do próximo mês.

Auxílio-desemprego

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiram 18 mil, para 354 mil na semana passada, segundo dados ajustados sazonalmente, informou o Departamento do Trabalho. O número de pedidos cresceu mais que o esperado, mas não o suficiente para sinalizar uma mudança concreta no ritmo atual de crescimento moderado do emprego.

Os pedidos da semana anterior foram revisados para mostrar mais 2 mil solicitações do que anteriormente relatado. A média móvel de quatro semanas de novos pedidos, que exclui a volatilidade semanal, subiu em 2.500, para 348.250.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.