Tamanho do texto

Na Grécia, um dos países que enfrentam programa de austeridade, o consumo recuou 84%. Enquanto na Alemanha, o poder de compra subiu para 121%

Agência Estado

Diferença de consumo entre Alemanha e países do sul da Europa é de 37%
AFP
Diferença de consumo entre Alemanha e países do sul da Europa é de 37%

A diferença entre o consumo individual na Alemanha e o dos países da zona do euro que estão implementando programas de austeridade continuou a aumentar no ano passado, de acordo com números da Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia.

Dentro da zona do euro, as pessoas na Grécia, Portugal e Itália enfrentaram declínios relativos no consumo de bens e sérvios em 2012, enquanto os indivíduos na Alemanha, Áustria e Finlândia viram seu consumo aumentar, mostraram os dados.

Leia também: Crescimento da economia alemã acelera no segundo trimestre

O consumo na Grécia recuou para 84% em 2012 de uma média da União Europeia de 9.291 euros (US$ 12.445), de 91% da média da UE em 2011, com base na medida de Consumo Individual Real (AIC), que fornece uma visão mais precisa do volume de bens e serviços consumidos. Na Itália, o consumo recuou para 97% no passado, de 101% em 2011, enquanto em Portugal, houve um declínio para 77%, de 82%. Em contraste, o consumo das famílias na Alemanha subiu para 121%, de 120%. Na Áustria, ocorreu uma alta para 119%, de 118%, e na Finlândia, o consumo aumentou para 114%, de 112%.

Mais: Vendas de carros na Europa atingem menor nível em 20 anos

O aumento da diferença entre o consumo na Alemanha e os países do sul da Europa desde o início da crise financeira de 2008 tem sido acentuada. Em 2007, a AIC da Alemanha foi de 113% da média da UE, enquanto o AIC da Grécia foi de 98%, uma diferença de 15 pontos porcentuais. Essa diferença é agora de 37 pontos porcentuais. Mas a Alemanha também ampliou a diferença na medida em relação à França, a segunda maior economia da zona do euro. Em 2007, a AIC da França ficou em 112% da média da UE, quase o mesmo nível da Alemanha. No ano passado, a diferença foi de 8 pontos porcentuais. Fonte: Dow Jones Newswires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.