Tamanho do texto

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) anunciará sua decisão às 15h (horário de Brasília). O chairman do Fed, Ben Bernanke, dará entrevista à imprensa 30 minutos depois

Reuters

Autoridades do Federal Reserve, banco central norte-americano, devem anunciar nesta quarta-feira que irão manter o ritmo de US$ 85 bilhões em compras mensais de títulos, ao mesmo tempo em que mantêm em aberto suas opções para reduzir o programa neste ano se o mercado de trabalho do país continuar melhorando.

Bernanke, presidente do Fed
ASSOCIATED PRESS/AP
Bernanke, presidente do Fed

Dados econômicos do país foram estáveis desde que as 19 autoridades da entidade se reuniram em maio. O crescimento do emprego foi estável e os consumidores continuaram gastando apesar das altas de tributos e dos cortes de gastos do governo. Mas a inflação desacelerou para ainda mais abaixo da meta de 2% do Fed.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) anunciará sua decisão às 15h (horário de Brasília). O chairman do Fed, Ben Bernanke, dará entrevista à imprensa 30 minutos depois.

"Se o cenário melhorar como o Fed espera, então ele pode continuar abrindo caminho para uma redução das compras nas reuniões futuras do Fomc", disse o economista do Barclays Michael Gapen.

"Entretanto, se os dados evoluírem mais em linha com nossa estimativa, então vemos o Fed evitando uma redução até o primeiro trimestre de 2014", escreveu ele em nota a clientes. O Barclays espera atualmente um crescimento mais fraco do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 do que o Fed.

Bernanke deverá tomar cuidado para criar uma linha clara entre a possibilidade de um ritmo mais lento de compras de títulos, o que ainda daria estímulo à economia, e um aperto real da política monetária que acabaria com ele.

O banco central dos EUA tem mantido as taxas de juros overnight perto de zero desde dezembro de 2008, ao mesmo tempo em que mais do que triplicou seu balanço patrimonial para cerca de US$ 3,3 trilhões com sua compra de títulos.

Economistas esperam que as taxas fiquem inalteradas até 2015, mas a postura sobre a data de uma retirada mudou nos mercados financeiros desde que Bernanke alimentou especulações no mês passado de que o Fed poderia em breve reduzir suas compras de ativos.

O chairman também deve ser questionado sobre seus planos futuros após o presidente Barack Obama ter indicado em entrevista na segunda-feira que Bernanke está pronto para deixar o cargo quando seu mandato acabar em 31 de janeiro de 2014.

Qualquer mudança em como as autoridades descrevem a inflação pode sinalizar um desejo de reduzir as expectativas de redução de compras. As declarações de Bernanke em 22 de maio de que o Fed pode começar a reduzir as compras em uma de suas próximas reuniões afetou os mercados financeiros e elevou com força os rendimentos dos títulos.

O índice de preços ao consumidor avançou 1,4% em maio ante o ano anterior. Mas o índice de preços PCE, medida preferida do Fed para a inflação, avançou apenas 0,7% nos 12 meses até abril, a leitura mais recente, menos da metade da meta do Fed.

O Fed também divulgará um sumário trimestral de projeções econômicas, incluindo estimativas de crescimento, inflação e desemprego, mais dados sobre quando cada um acha que o Fed deveria começar a elevar os juros.

O Fed diz que não elevará os juros até que o desemprego atinja 6,5% ou menos, desde que o cenário para a inflação permaneça abaixo de 2,5%. A taxa de desemprego dos EUA em maio foi de 7,6%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.