Tamanho do texto

Em carta, presidente do país argumenta que as duras medidas de austeridade causaram mais danos do que o esperado nos dois principais bancos cipriotas

Agência Estado

Presidente do Chipre, Nicos Anastasiades: termos do resgate resultaram em
AP
Presidente do Chipre, Nicos Anastasiades: termos do resgate resultaram em "profunda recessão"

O presidente do Chipre, Nicos Anastasiades, quer renegociar os termos do pacote de resgate destinado ao país, segundo divulgou nesta terça-feira (18) o jornal britânico Financial Times, que teve acesso a uma carta escrita por ele. Anastasiades argumenta que o país provavelmente não vai conseguir cumprir os termos do resgate e que as duras medidas de austeridade causaram mais danos do que o esperado nos dois principais bancos do país.

Veja também: Ex-presidente do Eurogrupo admite erros no resgate à Grécia

Na carta, que teria sido enviada na semana passada para líderes da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), o presidente cipriota diz que os termos do resgate resultaram em uma "profunda recessão" e pediu uma revisão "das possibilidades, para estabelecer um prospecto viável para o Chipre". Anastasiades pede ainda que a reestruturação e fusão parcial dos dois maiores bancos do país seja desfeita.

Uma alta autoridade da zona do euro disse ao FT que o pedido do Chipre não deve ser visto de maneira favorável, mas pode ser discutido durante um encontro na quinta-feira. Fonte: Dow Jones Newswires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.