Tamanho do texto

O Índice de Gerentes de Compras da região subiu para 48,3 ante 46,7 em abril. É a primeira vez que a contração diminui em quatro meses

Reuters

A contração da indústria da zona do euro diminui no mês passado, mas permanece generalizada uma vez que a queda dos preços de bens industriais falhou em elevar o volume de novos negócios, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

Houve uma notável melhora nas pesquisas das quatro grandes economias do bloco formado por 17 países, refletindo os dados da semana passada que mostraram melhora da confiança na zona do euro acima do esperado em maio.

O PMI do Markit para a indústria da zona do euro subiu para 48,3 ante 46,7 em abril, acima da preliminar de 47,8 mas chegando ao 22º mês abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração.

Ainda assim, o resultado é o mais alto desde fevereiro de 2012 e é a primeira vez que a contração diminui em quatro meses. A medida de produção recuperou-se para uma máxima de 15 meses de 48,8, ante 46,5.

O PMI para a Alemanha, maior economia da Europa, permaneceu abaixo da marca de 50 mas melhorou. A situação foi similar na França, segunda maior economia do bloco. Os PMIs de Espanha e Itália também subiram.

"A pesquisa ainda sugere que o PIB deve ter caído 0,2 por cento no segundo trimestre, ampliando a recessão da região para o sétimo trimestre consecutivo", disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.