Tamanho do texto

Os dirigentes europeus adiaram na sexta-feira, em uma reunião em Bruxelas, as decisões para prosseguir coma a integração da União Europeia

Os europeus deverão "trabalhar muito duro" se desejam manter as vantagens sociais e continuar sendo competitivos a nível internacional, afirmou a chanceler alemã Angela Merkel em uma entrevista ao Financial Times.

"Se a Europa representa hoje apenas mais de 7% da população mundial, aproximadamente 25% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, e deve financiar 50% dos gastos sociais no mundo, então é evidente que deverá trabalhar muito duro para manter sua prosperidade e seu estilo de vida", declarou Merkel.

"Me preocupa ver que muitas pessoas na Europa pensam simplesmente que Europa e Estados Unidos são as únicas referências para o mundo, que a Europa é tradicionalmente forte e que o mundo nos espera", completou.

Os dirigentes europeus adiaram na sexta-feira, em uma reunião em Bruxelas, as decisões para prosseguir coma a integração da União Europeia e não conseguiram manter a dinâmica após uma semana na qual chegaram a um acordo sobre as ajudas à Grécia e sobre a supervisão dos bancos na Eurozona.

Em Bruxelas, diante do presidente francês François Hollande, Angela Merkel não conseguiu impor totalmente suas opiniões para converter o retorno à competitividade em uma prioridade absoluta para a Eurozona.

A Europa enfrentará um "período difícil" e tem que seguir adiante nos esforços de reforma, declarou a chanceler alemã na sexta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.