Tamanho do texto

De acordo com a agência de administração da dívida, o novo prazo para ofertas, que havia sido estabelecido anteriormente para sexta-feira passada, será estendido até meio-dia de terça-feira

Agência Estado

A Grécia anunciou uma extensão de um dia no seu plano de recompra de dezenas de bilhões de euros em dívida, medida exigida pelo credores oficiais do país em troca de uma nova ajuda, depois que as ofertas iniciais da semana passada ficaram abaixo da meta.

De acordo com a agência de administração da dívida, o novo prazo para ofertas, que havia sido estabelecido anteriormente para sexta-feira passada, será estendido até meio-dia de Londres (10h de Brasília) de terça-feira.

"Nós decidimos estender a chamada para oferecer títulos designados para troca até 11 de dezembro de 2012", disse o chefe da Agência de Administração da Dívida Pública, Stelios Papadopoulos, em um comunicado. "Detentores de bônus que não fizeram uma proposta até agora ainda podem se beneficiar desta oportunidade de liquidez oferecida pela chamada."

Na sexta-feira, a Grécia havia atraído entre 26 bilhões de euros e 28 bilhões de euros (US$ 33,6 bilhões e US$ 36,2 bilhões) em ofertas, de acordo com fontes relacionadas ao acordo. O montante ficou abaixo dos 30 bilhões de euros que a agência de administração da dívida tinha como meta.

Ao reabrir a oferta, o governo espera que os bancos gregos aumentem o comprometimento para garantir o sucesso do programa. Os quatro grandes bancos comerciais do país, que possuem quase um quarto dos títulos da nação em termos de valor, ainda têm entre 4 bilhões de euros e 5 bilhões de euros da dívida, além dos 10 bilhões de euros que eles se comprometeram a vender, montante suficiente para cobrir o rombo, segundo fontes.

Nenhum dos bancos declarou oficialmente quantos títulos eles venderão de volta para o governo. No entanto, na sexta-feira, de acordo com autoridades bancárias, os quatro maiores bancos gregos se comprometeram a vender só 67% de suas carteiras totais.

A recompra, que deve ser finalizada até quarta-feira, é uma condição para o desbloqueio da próxima parcela de ajuda à Grécia da zona do euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Na quinta, os ministros de Finanças da zona do euro devem dar o sinal verde para a próxima parcela. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.