Tamanho do texto

Para ministro de Finanças, rebaixamento da agência Moody's é apenas "pequeno alerta"

Reuters

BERLIM, 20 Nov (Reuters) - O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, disse nesta terça-feira que a França recebeu um "pequeno alerta" com o corte em um grau de seu rating soberano pela agência Moody's , mas advertiu contra um excesso de dramatização do rebaixamento da nota.

"Recebemos a notícia na noite passada de que o nosso mais importante parceiro recebeu um pequeno alerta de uma agência de ratings", disse Schaeuble em um discurso na Câmara baixa do Parlamento, a Bundestag.

"O rating da França continua estável, ninguém deve dramatizar excessivamente isso."

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou o rating soberano da França de Aaa para Aa1, com perspectiva negativa, devido à exposição francesa aos países periféricos da zona do euro e à probabilidade de o crescimento econômico do país no longo prazo ser afetado negativamente por uma série de desafios estruturais.

A Moody's afirmou que o crescimento da França enfrenta desafios estruturais como perda de competitividade e rigidez do mercado de trabalho do país. O cenário fiscal da França é incerto devido à deterioração das suas perspectivas econômicas, segundo a agência. A Moody's também cita a diminuição na resiliência da França a choques na zona do euro como um dos fatores que provocarão riscos ao crescimento econômico.

A exposição da França aos países periféricos do euro por meio dos laços comerciais e de seu sistema bancário é "desproporcionalmente grande", afirma a Moody's. Suas obrigações no sentido de ajudar outros membros do euro também têm aumentado. O país não tem acesso a um banco central nacional para o financiamento de sua dívida no caso de um problema nos mercados, diferentemente de outros países fora da zona do euro que têm ratings semelhantes.

Ainda assim, a Moody's afirmou que o país continua extremamente bem avaliado pelo fato de ter uma grande e diversificada economia, assim como pelo seu forte comprometimento para realizar reformas estruturais e consolidação fiscal.

Em julho, a Moody's informou que iria avaliar o rating AAA da França para determinar o impacto dos elevados riscos de uma saída da Grécia da zona do euro, além da crescente possibilidade de um suporte coletivo para outros países do euro e a perspectiva de uma desaceleração econômica. As informações são da Dow Jones.

(Com Agência Estado)


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.