Tamanho do texto

"Cidadãos, pedimos perdão por não poder prender os verdadeiros responsáveis por esta crise: banqueiros e políticos", afirmava um dos cartazes exibidos pelos policiais

AFP

Cerca de 5.000 policiais procedentes de toda a Espanha se manifestaram neste sábado (17) no centro de Madri para denunciar as reduções de salário e de pessoal, três dias depois da greve geral contra as medidas de austeridade.

"Cidadãos, pedimos perdão por não poder prender os verdadeiros responsáveis por esta crise: banqueiros e políticos", afirmava um dos cartazes exibidos pelos policiais, que marcharam até ministério do Interior convocados pelo sindicato majoritário Sup.

Veja também:  Austeridade sozinha não ajudará Europa, diz Dilma

Veja também:  Greves contra medidas de austeridade atingem sul da Europa

"Todos os anos, saem entre 1.500 e 2.000 policiais e entraram apenas 125. Por isso, em três ou quatro anos, haverá mais insegurança e mais delitos na Espanha", advertiu José María Sánchez Fornet, em um discurso feito ante o ministério.

Veja também:  Espanha quer aliança com América Latina para enfrentar crise

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.