Tamanho do texto

Secretário da Fazenda diz que órgão ainda não decidiu sobre cotas de direito a voto

Agência Estado

O secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Carlos Cozendey, disse que o governo brasileiro sai frustrado da reunião do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), na Cidade do México, nesta segunda-feira, por não ter tido avanços na definição da reforma de cotas do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Ele destacou que existe um compromisso dos líderes dos países do grupo para completar a definição sobre a nova fórmula de cálculo das cotas com direito a voto até janeiro de 2013.Cozendey afirmou que é "frustrante que o G-20 não tenha sido capaz de chegar a um resultado a esse respeito". Ele avaliou, porém, que o governo brasileiro tem esperanças de que um acordo seja concluído no board do FMI até janeiro. "Temos expectativas de que os países do G-20 honrem o compromisso para completar a revisão da fórmula de cálculo".

Outro assunto no qual o Brasil também esperava avanços no G-20 ao longo de 2012 é em relação à questão dos subsídios para as exportações dos produtos agrícolas. O governo brasileiro, segundo Cozendey, achava que o G-20 deveria tratar essa questão de maneira mais aprofundada, mas que os países que concedem tais subsídios bloquearam este debate.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.