Tamanho do texto

Primeiro-ministro espanhol afirmou que plano do Banco Central Europeu para comprar bônus no mercado secundário é um instrumento "muito importante"

EFE

O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, disse nesta quarta-feira que não descarta pedir ajuda financeira para a União Europeia (UE) se considerar que isto é necessário para os interesses do país. Em um discurso no Câmara dos Deputados, Rajoy explicou sua postura sobre a possibilidade de finalmente a Espanha decidir recorrer ao mecanismo do Banco Central Europeu (BCE) para a compra de dívida.

Segundo o chefe do Executivo espanhol, o plano do BCE para comprar bônus no mercado secundário é um instrumento "muito importante". "Não descarto utilizá-lo se for necessário para o interesse geral dos espanhóis", disse Rajoy, que, na segunda-feira passada, assegurou em entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, que neste momento um pedido de ajuda europeia "não é imprescindível".

VejaRajoy diz que crise precisa de soluções domésticas e europeias

Hoje, em seu discurso parlamentar, Rajoy disse que poderia recorrer à ajuda da UE "da mesma maneira que pedimos o empréstimo para as instituições financeiras, se eu considerar que é necessário para o interesse geral". Fontes do Executivo espanhol reiteraram hoje que não é urgente uma decisão sobre o pedido de ajuda porque a Espanha tem coberta praticamente todas suas necessidades de financiamento até o final do ano.

A previsão do governo é que, no próximo ano, a contração da economia seja de 0,5%, mas que em 2014 o PIB cresça a um ritmo de 1,2%. "A balança comercial exterior é positiva e isto não tinha ocorrido nunca", disse o chefe do Executivo, que insistiu em que o "déficit estrutural" está se reduzindo cerca de 3,5% neste ano e que as comunidades autônomas estão fazendo um "esforço extraordinário". 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.