Tamanho do texto

Redução das províncias, que corresponde a organização administrativa entre o município e a região, foi adotada com o objetivo de poupar cerca de 40 milhões de euros por ano

AFP

O governo italiano aprovou nesta quarta-feira um decreto-lei para eliminar 35 províncias, entre elas cidades metropolitanas, a fim de reduzir as despesas públicas. "O número de províncias com situação regular será reduzida de 86 para 51, incluindo as cidades metropolitanas", informou em um comunicado o Conselho de Ministros. A redução das províncias, que corresponde a uma organização administrativa entre o município e a região, foi adotada com o objetivo de poupar cerca de 40 milhões de euros por ano, segundo o comunicado.

MaisDesemprego na Itália é o maior desde janeiro de 2004

"A reforma é baseada em modelos de governo europeus", ressalta o anúncio, que acrescenta que tais medidas vão permitir racionalizar "gastos na gestão das ruas e escolas", por exemplo.A redução das províncias entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2013, enquanto as cidades metropolitanas, que vão substituir as províncias com grandes centros urbanos, devem começar a funcionar a partir de 1º de janeiro de 2014.

TambémMilhares de pessoas protestam em Roma contra governo Monti

"É um processo irreversível", explicou o ministro da Administração Pública, Filippo Patroni Griffi.O primeiro-ministro Mario Monti, que assumiu o cargo em novembro de 2011 para salvar a Itália da crise que ameaça o euro, tem adotado inúmeras medidas de austeridade em todos os setores da sociedade.O corte das províncias "é o primeiro passo" para a realização de uma ampla reforma, que prevê uma reorganização da administração do território, explica o comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.