Tamanho do texto

Os empréstimos para consumo cresceram em US$ 2,7 bilhões em setembro, o maior aumento desde julho de 2008

Agência Estado

O crédito para as famílias no Reino Unido apresentou forte alta em setembro devido principalmente a uma significativa elevação na concessão de crédito sem seguro, segundo dados divulgados hoje pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).

Os empréstimos para consumo cresceram em 1,7 bilhão de libras (US$ 2,7 bilhões) em setembro, o maior aumento desde julho de 2008. Em agosto, houve pagamento líquido de 300 milhões de libras em empréstimos.

O número de setembro veio bem acima das expectativas. Economistas consultados pela Dow Jones previam um ganho de 200 milhões de libras no volume de empréstimos do mês passado.

O detalhamento dos dados mostra que os empréstimos hipotecários subiram 500 milhões de libras em setembro. No mês anterior, foi registrado pagamento líquido de 100 milhões deste tipo de empréstimo.

A maior parte do aumento geral nos empréstimos veio do crédito sem seguro, que cresceu 1,2 bilhão de libras em setembro, a maior alta desde fevereiro de 2008. Em agosto, houve pagamento líquido de 100 milhões de libras nesta categoria.

A base monetária, que inclui o fluxo de recursos para as famílias e empresas, cresceu em 5,7 bilhões de libras em setembro, após avançar 8,6 bilhões de libras em agosto. As informações são da Dow Jones.