Tamanho do texto

Com exceção da Suécia, os países que apresentaram diminuição no indicador são todos do centro ou do leste da Europa; liderança ficou com a Lituânia, cuja relação dívida/PIB recuou de 42,7% para 40,4%

Agência Estado

As dívidas dos governos da zona do euro continuaram a crescer em relação à economia da região nos três meses até junho, apesar dos programas de austeridade elaborados com o objetivo de cortar gastos públicos e elevar a receita com impostos.

Indicadores de atividade sugerem aprofundamento da crise na zona do euro

Dados da agência oficial de estatísticas da União Europeia (UE), a Eurostat, mostraram que a dívida dos 17 membros da zona do euro subiu para 90% do Produto Interno Bruto (PIB) local no segundo trimestre, de 88,2% no primeiro trimestre e 87,1% no segundo trimestre de 2011. Na UE, que conta com 27 países, a relação dívida/PIB saltou para 84,9%, de 83,5% no trimestre anterior.

Segundo a Eurostat, 20 nações da UE registraram aumento recorde na dívida durante o segundo trimestre. Os maiores acréscimos foram verificados na Grécia, Chipre e Portugal.

Com exceção da Suécia, os países que apresentaram diminuição no indicador são todos do centro ou do leste da Europa. Na liderança ficou a Lituânia, cuja relação dívida/PIB recuou para 40,4%, de 42,7%.

Alguns países da zona do euro procuraram ajuda e receberam assistência financeira de seus parceiros no bloco, como Grécia, Irlanda e Portugal. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.