Tamanho do texto

Primeira metade do ano fiscal no país teve queda principalmente nas exportações de setores como hidrocarbonetos e maquinaria

EFE

O Japão registrou no período de abril a setembro, primeira metade do ano fiscal no Japão, seu maior déficit comercial histórico neste período de 3,22 trilhões de ienes, segundo informou nesta segunda-feira o Ministério de Finanças japonês.

Banco Central do Japão: Presidente mostra pessimismo com crescimento global

Nos seis primeiros meses do ano fiscal, as exportações japonesas alcançaram 32,16 trilhões de ienes, 2% menos em relação ao mesmo período de 2011, enquanto as importações ficaram em 35,37 trilhões de ienes, 2,6% mais que no ano anterior.

De abril a setembro de 2012, o destaque para a queda anualizada nas exportações de setores como hidrocarbonetos (12,7%) e maquinaria (7,5%), enquanto subiu o de equipamento de transporte, 14,4%, sobretudo automóveis (23,7%), e as matérias-primas, 8,3%.

Quanto às importações, de abril a setembro destacaram-se o aumento de 9,9% no setor de hidrocarbonetos, sobretudo gás natural liquidificado (24,3%) e petróleo (8,3%), e equipamento de transporte (40,2%), enquanto destacou-se a queda do setor de bens manufaturados (11,9%).

Leia também: Produção industrial no Japão recua 1,6% em agosto

O arrefecimento da economia global afetou este ano a balança comercial japonesa, que sofre, além disso, a carga de custosas importações de hidrocarbonetos por causa da parada da maioria das usinas nucleares do país após o acidente em Fukushima. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.